Elas na Tecnologia – Os desafios das mulheres na área da TI

Falar de pessoas na tecnologia é lembrar de homens como Steve Jobs, Bill Gates e muitos outros homens que foram relevantes para o mundo que vivemos hoje. Mas mais no começo do mês, nós fizemos uma publicação nas redes sociais da Marttech com uma lista extensa de mulheres que foram vitais para esse desenvolvimento, mas foram esquecidas ou não ganharam a reconhecimento que mereciam. E essa questão se repete no mercado de trabalho da Tecnologia da Informação e correlatos.

“Elas são apenas 20% do total de profissionais brasileiros do setor”

 

Tanto no Brasil como no mundo, as mulheres ocupam poucos espaços no mercado da tecnologia. De acordo com levantamento da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), dos mais de 580 mil profissionais de TI que atuam no Brasil, apenas 20% são mulheres. A gigante Google, em 2019, o Google revelou que apenas 30% de todos os seus colaboradores são do sexo feminino. E esses dados não são atoa: tanto o ambiente familiar quanto o escolar desencorajam as meninas a seguirem na área.

“79% das mulheres que ingressam em cursos relacionados à área de TI abandonam a faculdade”

 

Se você já frequentou uma faculdade de exatas, pode ter uma impressão da situação das mulheres nos cursos dessa natureza. Segundo o levantamento do PNAD, 79% das mulheres que ingressam em cursos relacionados à área de TI abandonam a faculdade ainda no primeiro ano. Os motivos são variados, mas de mesma raiz: o preconceito. É comum achar relatos das mulheres que ingressaram um curso de TI e foram tratadas de maneira desigual por professores e colegas por duvidar da capacidade que elas tinham de resolver questões técnicas e outras supostas discrepâncias.

“Apesar de tantos obstáculos, não faltam exemplos inspiradores”

E mesmo as que contrariam as estatísticas, ainda tem que se provar com mais resiliência nos ambientes de trabalho, um assunto para outro texto. Por isso, é mandatório o incentivo de empresas para a educação especializada para as mulheres também, afim de igualar essa balança.

Apesar de tantos obstáculos, não faltam exemplos inspiradores de mulheres que desafiam os preconceitos e provam que lugar de mulher é na TI, sim. É o caso de Marissa Mayer, cientista da computação que ocupou posições estratégicas de liderança no Google e hoje é CEO do Yahoo! Ginni Rometty, CEO da IBM, e Sheryl Sandberg, COO do Facebook, também estão entre as executivas mais poderosas do Vale do Silício. Susan Wojcicki, CEO no YouTube, Meg Whitman, CEO na HP e tem uma lista brilhante de mulheres que moldam a indústria da tecnologia. Com competência de sobra, elas ajudam a pintar um cenário mais positivo para o futuro.